14/04/2008

Carrossel

Eu gostaria que as coisas não fossem tão complicadas difíceis.*

Acordei essa semana com um sentimento de aperto que me deixa com um nó na garganta. São tantas coisas a resolver que meu cérebro se tornou um carrossel insano, girando sem sair do lugar, com os cavalinhos – meus sentimentos – subindo e descendo enquanto giram. O duro no processo de auto-conhecimento é você ver quantas cagadas fez. Na época é claro que não pareciam cagadas. Na maioria das vezes, até, parecia ser a decisão mais acertada. Aí a gente amadurece, envelhece, cresce e outros “éces”, e vê que pisou na bola um monte de vezes.


E nem tudo é fácil de consertar, como ligar para um amigo com quem você não fala há muito tempo e pedir desculpas por uma briga, ou pagar uma grana que você pegou de outro amigo atrasada. Tem coisas que são muito mais difíceis, e são essas que me assombram noite adentro, na escuridão do quarto, no bafo quente da insônia.



6 comentários:

B. disse...

tudo certo por ai? ou precisando de um ombro amigo? msn tai pra isso ;-)

rancorizando disse...

Nem me diga... qdo eu acho que tudo vai ficar calmo, outra bomba cai e recomeça a confusão. =/
Ainda bem que nem to parando mto pra reavaliar o que fiz senão...

bjones

bjomeliga disse...

Não consigo pensar em ninguém que tenha tão alto indice de decisões erradas que foram tomadas. Agora mesmo, eu acabo de tomar uma decisão e já sei que vou me foder.
Enfim...

Andreia disse...

Compreendo cada palavra, cada vígula, e divido deste sentimento que também faz parte de mim.
Porque tudo vem à tona somente à noite?

Beijos!!!

kami! disse...

As vezes tenho a sensação de que o tempo nos mostra o quanto fomos ou ainda somos idiotas, o que parecia certo parece ser tão estupido pouco tempo depois!
É o dificil de envelhecer... amadurecer....acho que no fundo é o dificil de viver!

Ps_ quanto ao seu comentário que bom que gostou da nova cara do meu blog, e quanto ao post, já tenho alguns escritos mais to resolvendo ainda qual passar pro pc.


Bjussssss

Celine disse...

Lindo.
Adorei o texto.
Mas é tão bom o carrosel...essa certeza de rodar, saber que ele funciona assim, a magia do carrosel, da vida.

O bom é reconhecer erros e ter a sensatez de reavê-los.
Vem os "eces", mas nunca sabemos com certeza do que é o acertado...

beijos