02/05/2008

Urbanidade

É curioso, mas de tudo que já escrevi essa poesia mega-simples é das que mais gosto. Ela é bonitinha, não sei bem explicar... E como estamos em meio de feriadão e fui assolado por uma gripe pentelhíssima, o máximo que sou capaz de escrever aqui é isso... malaê.

"Cidade"

Poetas, poetas e britadeiras
Fazem ruídos e sons
Que se misturam no ar
No mesmo céu cinza-anil
Onde voa o beija-flor, a andorinha
Voam e ninguém vê...
E nas árvores poucas, cantam poucos sabiás

Cantam e ninguém ouve...
Porque poetas, poetas e britadeiras
Fazem ruídos e sons
Que se misturam no ar...


Então, era à direita ou à esquerda na torre?

5 comentários:

Dani Vitrolinha disse...

TB achei bem bonito... escuta ogro? Tu é sempre inspirado assim??? Se for, não tem nada de ogro não hein? Tá mais pra Encantado! hihihi

beijocas.

Ócio disse...

hihihih

Adorei o teu comentário...e aproveitei pra publicar no meu blog, mas não se preocupe, está lá o seu endereço como autor do texto...=)
Até mais ler!

Andreia disse...

Oiiiiiiiiiiiii querido!!! Tudo bem? Como foi o feriadão?
Puts, por aqui, muito palmeirense soltando bomba e deixando meio metro de bandeira pra fora do carro........:|
Mas estamos aê.......rsrsrs


Beijão!!

kami! disse...

Hummm...gripe e feriadão!???
Que horror,hein!?
Mais adorei a poesia...poetas e britadeiras.... não teria pensado nisso!

Valeu por seguir minha saga até os confins de outro blog ao lado!rsrsrs

Bjusssssss e melhoras!

bjomeliga disse...

Esse Ogro é tão sensível que nem ogro parece.
Agora, que tal uma poesia sobre comida por quilo + bactérias? \o/