03/04/2008

Profissão: Perigo

Eu comentei outro dia que no meio de uma reunião li uma tira de quadrinhos que me mandaram e desatei a rir no meio de uma reunião. O comentário do grande Thiago me levou a pensar nessa questão de trabalho, e fiquei pensando que seria legal ter um emprego com mais responsabilidades, ser tipo um médico e salvar vidas ou algo assim.

Aí li um artigo sobre o acelerador de partículas que está para ser ativado em Genebra, e que alguns suspeitam que quando ligado irá começar a colidir prótons e gerar um pequeno buraco negro (pequeno, no caso de buracos negros, é CATASTRÓFICO – destruiria a Terra certamente, e em última instância todo o universo. Pois é, light). De repente fiquei feliz demais com meu emprego e o fato de que no pior dos erros que eu puder cometer, um telefonema resolve. E eu gosto de telefones. Cara, eu realmente não queria ser o cientista que, por um erro de cálculo na casa do putilhonésimos, destruiu o PLANETA. Porque é, aliás, exatamente o tipo de erro que eu faria – ainda mais se eu estiver com meu blackberry e alguém mandar algo engraçada no meio.

Eu na NASA, programando a trajetória da nave espacial tripulada que vai pra Marte, chega uma piadinha e eu começo a rir. Aí, um estagiário pergunta: “Ei, é 200 bilhões, 635 milhões, 433 mil, 633 vírgula 1241235125235 ou vírgula 1241235125233???” E eu, rindo: “foda-se, põe 8 aí e não enche o saco.” E os astronautas morrem queimados no SOL ou congelados em PLUTÃO.

Sei lá, trabalho com recrutamento e acho que isso não pegaria bem no currículo... “Realizações: incinerou um grupo de 10 astronautas, mandando-os para o Sol ao invés de Marte, com um pequeno desvio no cálculo da décima-terceira casa decimal”. Bom, pelo menos no caso do mega-acelerador de partículas não sobra ninguém pra encher o saco. Só um dos benefícios de exterminar o universo. ¬¬


[nota explanatória: post roubado do levemente inspirado no Scott Adams. Ah pôw, as piadinhas infames são minhas, catzo!]

10 comentários:

LuRussa disse...

ahh, mas entao já que vc acabou de conehcer meu blog, vc precisa ler todos os arquivos...desde 2005 quando eu ainda morava na Russia ..:)
bjao
LuRussa
www.garotinharuiva.blogger.com.br

kami! disse...

Adorei o seu post, um por que adoro tb telefones, pena não poder ficar falando nele enquanto trabalho,não oficialmente ao menos. E segundo por que ao contrário de vc eu queria um trabalho com menos responsabilidades, pra poder receber piadinhas e esquecer do que estou fazendo...

Bjusssssssss

Thiago disse...

ente fiquei sabendo que um professor usou um dos meus textos em aula... Daí que percebi que meu trabalho pode potencialmente ser perigoso, quer dizer, existe a grande chance de eu estar escrevendo um monte de bobeiras e ajudando na formação da próxima geração de idiotas...

Se assim o for, preferia estar destruindo o mundo rsrs.

Daniele disse...

auhauahuahuaha... e ficou muito bom! meu trabalho é de ambiente forense, mais sério, eu na verdade queria trabalhar numa redação de jornal... sei lá. bjoca.

Dani Vitrolinha disse...

kakakaka com um currículum desses, vc já pensou onde vc ia parar né Ogro?

Quanto aoo meu post, e o seu comentário, não se tem muito mais a acrescentar, já dissemos tudo né? Torço pra que não seja ele MESMO!
Preciso te linkar.

bjo.

Dani Vitrolinha disse...

Claro que sou Sãopaulina né??? Tem como torcer pra outro time Ogro???
Único tricampeão mundial do Brasil!
Melhor goleiro do MUNDOOOOO!
E ainda por cima mandaram o Adriano pra gente. Aí fudeu!
Fala sério! bj.

Si disse...

Ei, olha eu de novo! Estava sem computador em casa e no trabalho, uma correria.

Essas questões relacionadas a trabalho são sempre complicadas. Já estou no segundo emprego e nada de satisfação plena. Acho que vou jogar tudo para o alto e virar hippie. Ou então, ajudar na destruição do universo.

Muito engraçado esse post.

Beijos, moço

rancorizando disse...

Eu queria ser flanelinha.
Cobro pra vc parar o carro na RUA e obrigo a me pagar um trocado pra não ganhar um risco na lataria.
Fora que dependendo da pessoa, eu riscaria o carro mesmo com o trocado garantido. há!

B. disse...

Acho que estou na categoria que não pode errar...rs. (estou rindo pra não chorar). Mas ainda bem que como faço exames, tenho tempo de revisar as coisas com calma antes de liberar o resultado, a não ser quando um paciente neurotico insiste que quer o laudo para ontem. Aí é força na peruca e atenção nos detalhes, mas com certeza a probabilidade de erro aumenta.beijao e boa semana

bjomeliga disse...

Uahuahauahua... Cara, certeza eu faria a mesma coisa que você. Viva os erros que podem ser corrigidos com um mero telefonema \o/
PS.: ainda preciso de emprego, tá?