27/05/2008

Febre virtual

Ultimamente eu tenho acompanhado intensamente alguns canais do Iútúbio. Isso além dos blogs que leio sempre, os ali da direita.

Desse jeito eu vou ter que começar a trabalhar menos para poder acompanhar tudo que gosto na net,
falasério!

Mas o que me chama a atenção é que a maior parte dos vídeos iútubianos que acompanho são feitos por pessoas normais. Tipo, comecei assistindo comediantes, Robin Williams, o GRANDE (literalmente e figurativamente) Rafinha Bastos (que é genial), trechos de filmes, clipes e trasheiras boas (tipo clipe original dos Menudos, coisa fina, de nível). Mas aí fui conhecendo gente que simplesmente fica gravando a opinião deles na forma de vídeo, e isso tem se
tornado uma comunidade gigantesca online. Meio como blogs, aliás. E as pessoas se "linkam" (do verbo linkar), trocam mensagem através de comentários e respondem aos vídeos uns dos outros com OUTROS VÍDEOS, além dos comentários por texto.

Cara, isso tem feito mal.
Porque fico vendo os vídeos e a galera animada e que se conhece e fala besteira pra caramba dando milhões de risadas e estou começando a morrer de vontade de fazer vídeos também - por enquanto, só comento nos que curto. Mas foi exatamente isso que aconteceu com essa joça aqui, aliás: eu lia muitos blogs bacanas (já finados, a maioria... como a Kritz, o Bunkerdaminalá - heheh, disfarça... - e tantos outros) e comentava, e e com o tempo fui querendo montar um meu. Pra falar merda mesmo, nada de mais (fácil perceber o QUANTO evoluiu, né?).

Aí acabei trombando com a apresentação de um professor da Universidade de Nova Iorque que estuda a internet e novas mídias em geral. E segundo o estudo que ele conduziu, para montar a Wikipedia (que todos devem conhecer) foram gastas por volta de 100 milhões de horas - somando o trabalho de cada LINHA de código de cada página, em todos os idiomas que a Wikipedia existe. Parece bastante, mas não é tanto se compararmos a outro dado que ele apresenta: só nos EUA, durante UMA partida de futebol americano do Superbowl, é gasta exatamente a mesma quantidade de horas assistindo a partida. E que, APENAS NOS EUA, são gastas 200 BILHÕES de horas assistindo TV, e isso só para PROPAGANDAS
- nem inclui o tempo dos programas e filmes em si. É muita coisa. Ele chama esse "excesso de tempo" gasto "inutilmente" com tv de excedente cognitivo. E o estudo dele mostra claramente a tendência das pessoas dedicarem um percentual cada vez maior desse excedente a tarefas que envolvam um sentimento de contribuição para essa "aldeia global" (o termo é batido, eu sei, mas fazeroquê se ele define bem a coisa?). As pessoas querem PARTICIPAR mais, sentir que fazem parte de algo. Isso é legal. Eu senti isso quando comecei a ler blogs e ainda mais hoje (mesmo com todos os TRÊS gatos pingados que lêem isso aqui). Achei interessante isso. E agora essa vontade de fazer vídeos, mesmo sem ter a menor NOÇÃO de edição de vídeo ou algo que o valha.

Mas se algum dia eu fizer algo do tipo "dança do siri" ou "dança do quadrado", me interna. Melhor ainda, me poupem da dor e sacrifiquem de vez. Pode ser em qualquer veterinário da grande São Paulo.


Zé do caixão no - seu - quadrado, ZédoCaixãonoseuquadrado!




** Para quem quiser assistir o vídeo do cara, ele se chama Clay Shirky. Não achei com legendas, então fica a dica pra quem manja alguma coisa de inglês: http://blip.tv/file/855937

3 comentários:

kami disse...

Olá Ro!

Gostei do post, apesar de estar mais sério que o habitual, mais eu tb já entrei nessa de videos, e caso vc descubra como editar e tal (vamos fazer uma coisa decente) me avisa!
Quanto a dica vou dar uma passadinha lá agoraaaa pra ver!

*bjussss

rancorizando disse...

Pô, indica uns canais ai pra nozes!

bjones

Dany Darko disse...

Tah, depois desse texto bunitu, tu jah pode postar aqui teu video da dança do siri. =D
Sim, me bate, estou te devendo email. Tu acredita se eu disser que vou te escrever?
Xaudadi, miguxo! beju!