14/10/2008

Eu quebrei o nariz uma vez, mas não lembro

Final de semana passado almocei em família, e minha QUERIDA mãe lembrou uma história bacana. Eu quebrei o nariz uma vez, mas não lembro de nada. É ridículo admitir que não lembro, considerando a idade. E é patético que foi em um sofá. E é mais vexante ainda admitir o como – que é exatamente o que vou fazer agora. Afinal, o que é um blog senão mais uma ferramenta de auto-humilhação, junto com as fotos do Orkut?

Aos 5 para 6 anos de idade, a coisa mais importante para mim (e vários outros moleques, na época) era ganhar uma roupa do Super-Homem. Cueca para fora da calça e tudo o mais, você sabe o esquema. Quando enfim ganhei uma (claro que pobre é foda não foi a roupa completa, essa família não tem grana até hoje, e na época era pior ainda. Ganhei só a capa. Mas era bobo e fiquei feliz mesmo assim), estava na casa da minha avó. Diferente de outros meninos, no entanto, meu sonho não era voar (eu já era inteligente o suficiente pra sacar que isso não era verdade e que a roupa do Super-Homem não me daria poderes de vôo. *pensativo*: hmmm... Ou daria..?). O que eu mais queria, mais do que comer a Mulher-Maravilha ou a Louis Lane voar, era ver a capa esvoaçar como no filme (o original de ‘78, claro). Aquilo era o máximo, ainda acho isso! Apesar dos efeitos especiais ultrapassados e daquele modelito de cueca já ter saído de moda.

Então o meninão aqui, feliz, contente e retardado começa a correr como um imbecil pela casa, capa amarrada, cueca para fora, mãos para a frente, para o alto e avante! E no auge da velocidade, quando já estava mais ou menos na velocidade de um trem-bala, resolvi olhar para trás e conferir se a capa realmente balançava como a do filme. Tentei olhar por cima do ombro, e tive dificuldade para enxergar. Resolvi forçar um pouco a cabeça... Torcer um pouco mais o pescoço... virei um pouco mais o ombro... abaixei as mãos... *BLAM*!!! Não sei se alguém gritou "Cuidado!" ou se foi instinto de merda (já disse que não lembro de nada!), mas tinha olhado para a frente milésimos de segundo antes do inevitável impacto com as costas do sofá da minha avó. Um daqueles que a parte de trás é de madeira maciça, daquelas bem sólidas, não "ocas" meramente cobertas com pano ou couro, ou de “compensado”, como os sofás atuais. Segundo o relato de testemunhas, fui levado ao hospital com o nariz sangrando depois que pararam de rir.

Bom, não é que eu não lembre de NADA também: lembro da capa, lembro da roupa de super-homem que eu queria. Que, aliás, todos se apressam em informar o óbvio: que "não dá poderes de vôo ao usuário" (dããr!!), mas ninguém, NINGUÉM avisa que não dá invulnerabilidade também.

Como se isso desse para adivinhar! Ora bolas.
¬¬

8 comentários:

Doduti disse...

hahahahahahaha

Tem um amigo meu que também machucou o nariz por causa de uma capa do Superman. A diferença é que ele foi tentar voar mesmo, pulou de uma escada, mas a parede era muito próxima e ele esfolou o nariz =P

Por essas e outras que eu escondo a capa do Lucas =D

Eric Franco disse...

Caralho! Sua vó tinha um sofá de kryptonita!
Mas se você quiser ver uma história de fratura realmente idiota, leia isso aqui: http://infernal.blogsome.com/2006/06/03/braco/

disse...

Ô dó!

Fico imaginando que deve ter doído horrores!!

Monicake disse...

Ô tadinho!
Ok, anotado: roupa de super heróis pros filhotes só depois q eles completarem 15 anos.

Dany Darko disse...

Pois é, faz tempo que parei de escrever sobre os pelados franceses. E tu, pelo contrario, continua deixando comentários sobre esse mesmo assunto. Acho que tu curtiu esse tema mais que eu ou está faltando imaginação nos comentários...

Bruno disse...

Casas Bahia, vendendo móveis vagabundos e salvando a vida de milhares de criancinhas.

A Truculenta disse...

auto-humilhação no orkut = fotos de biquíni? hahahah

mas então, essa coisa de super herói é complicada. Minha cunhada, acreditando ser a Mulher-Maravilha, pulou da estante e abriu o supercílio na mesa de centro! Tenso...
hahaha

beijos

leão disse...

Hahaha! Sempre rola uma coisa bizarra com isso.

Lembro de uma vez quando eu tinha uma bicicleta(aos meus 6 anos) caí e cortei o supercílio. Minha mãe chegou em casa e achou que tinha cortado o pescoço, pois estava TUDO ensanguentado. =P

Coisas que acontecem na vida...