20/03/2008

Mico gringo

Daí que fila não é exclusividade de brasileiro, muito menos pagar mico. Hoje eu estava conversando com miguxas do trabalho e lembrei uma história mega bizarra que aconteceu comigo uns 15 anos atrás (eu achava que essas coisas só aconteciam comigo, mas graças à comunidade blogueira, eu descobri que existem muitos outros lesados outras pessoas também passam por coisas bizarras, e isso foi bom).

Eu estava em minha primeira e única visita à Disney (sim, eu já fui pra Disney! \o/), tinha os meus 15 ou 16 aninhos mas já era um feladaputa e era um pentelho pimpolho correto e inocente. E não podia perder a Isplésh Mauntãin, lógico - mas meus pais não iam encarar nada que não tivesse formato de cavalo e/ou passasse de 1,2 km/h, então fui só eu e minha irmã. Eu já comentei por aqui que sou ruivo, e agora acrescento que sou branquelo. Não que ninguém já não tivesse adivinhado, claro. Olhando pra mim, nem meu pai acredita que sou neto de Potiguar (acreditem, já deu muita briga lá em casa. Ainda bem que a gente tinha um vizinho muito legal, o "Seu" GDFWFE, que sempre acalmava as coisas). Bom, o negócio é que lá nos istêites, quem olhava pra mim achava que eu era de casa e pronto.

Estávamos então eu e minha irmã na fila da Isplésh Mauntãin e pra nossa sorte, à frente um grupo da Stella Barros e atrás um grupo de outra empresa, mais “pobrinha”. Ao nosso lado, uma amedrontada família americana, composta de uma mãe e dois filhos – um moleke da idade da minha irmã e uma menina pouco mais nova que eu (e bem gatinha, por sinal: loirinha de olhos azuis – bem estereótipo cheerleader). Eu e minha irmã mal conversávamos, e os americanos idem. Os grupos bagunçavam entre si – o que era bem ok.

Aí começaram as hostilidades, seiládaonde, mas era uma batalha entre os grupos. Era o grupo “laranja” recitando gritos de guerra ofendendo os “verdes”, xingando de filhinhos de papai (e de damas de reputação duvidosa). E os “verdes” xingando os “laranjas” – uma gritaria sem fim. Nessa ora, até para não me meter no meio da “Guerra dos Fretados”, eu comecei a falar com minha irmã só em inglês. Eu hein? (ah, já mencionei que fui professor de inglês por uns 8 anos? Poizé.) Ouvindo algo em língua nativa, eis que a matriarca americana arrisca puxar conversa:

(mãe americana): Wow, these Brazilians are so LOUD, aren’t they?
(eu): Yeah... it’s terrible, isn’t it? And that’s not all!
(m.a.): No, I know! They’re also rude and impolite...
(eu, suspirando): Believe me, I know...
(m.a.): And you know what? They’re dirty too! Littering everywhere!
(eu): Huh... I know, I’m Brazilian, and it’s the same back home, too...

A mulher travou na HORA! Ficou vermelha-pimentão, e os filhos dela riam tanto que o moleke chegou a chorar, rolando no chão. Apontavam pra ela e riam!

É claro que ela não sabia onde se enfiar, enquanto pedia mil desculpas, mas eu disse para ela não se preocupar, que não tinha problema, que realmente estava demais – se vocês lembrarem, foi bem na época em que a Disney criou um vídeo especialmente para brasileiros, “ensinando” como se comportar nos parques. Mas que foi muito engraçado ver a reação da mulher, isso foi! =D

Para quem não entendeu o diálogo, o que sucedeu foi o seguinte:

(mãe americana): Uau, os brasileiros são barulhentos, não são?
(eu): Ahan... um saco, né? E tem mais!
(m.a.): É, eu sei! Eles são mal educados e grossos também...
(eu, suspirando): Pode crer, eu sei muito bem...
(m.a.): E sabe duma coisa? Eles são uns porcos também! Jogam lixo por tudo!
(eu): É... eu sei, EU sou brasileiro e lá eles fazem igualzinho...

9 comentários:

kami! disse...

Tem coisas que acontecem que não dá pra acreditar... imagino a cara dela esperando que o chão se abrisse pra que ela pudesse enfiar-se lá e morrer!
Adorei!Andei fazendo minhas visistinhas diarias e o seu texto foi o primeiro que não me deixa mais pra baixo do que eu já ando!
Bjusssssssss

kami! disse...

Háaa antes que me esqueça... posso linka-lo no meu espelho!???

Bjusssssssss

Kazilar disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Andreia disse...

owwww DISNEY!!!!!!!!!!!!!! Morrí! Morrí de inveja!!

O que restou de mim, imagina a cara que a pobre senhora americana fez....+ou- World Trade Center
caindo né? hahahaha

Beijos!

Andreia disse...

Ah tem presentinho pra você lá no meu bloguim viu?

Beijos!

.linny disse...

simmmmmmmmm eu sou ariana... quando é o teu niver???

beijos

bjomeliga disse...

Quando eu fui pra Disney, eu era do grupinho laranja \o/

.linny disse...

eeeeeeeeeei e vc nao me fala nada


parabens, felicidades e anos de amizades pra nos.

bju

rancorizando disse...

boa!!! tenho uma história parecida só que rolou aqui no Brasil mesmo... eu estava andando na Paulista e tinham dois gringos atrás de mim que começaram a comentar em inglês de mim (se é que vc me entende). Eu virei pra trás e respondi "i'm sorry i don't feel the same way".
Achei que eles iam morrer de vergonha e de se desculpar!
beijos